terça-feira, 26 de maio de 2015

Pas de quatre

Por Dryelle Almeida

Música de Cesare Pugni
Coreografia de Jules Perrot

Estreou no Teatro de Sua Majestade em Londres em 12 de julho de 1845. Levado ao Teatro Municipal do Rio de Janeiro em 7 de junho de 1960.



Entre os muitos contratos importantes feitos para a temporada lírica de 1845 pelo diretor do Teatro de Sua Majestade, Benjamin Lumley, contam-se as negociações para a apresentação das quatro maiores bailarinas daquela época: Marie Taglioni, Carlotta Grisi, Fanny Cerrito e Lucile Grahn. Pode-se fazer uma idéia das dificuldades surgidas para se reunir as quatro divas do ballet do século XIX, o trabalho de aparar arestas, de procurar não ferir as suscetibilidades. Cada oscilação de um pé, cada passo tinha de ser extremamente pesado para não resultar em preponderância de uma sobre a outra.

Afinal, tudo foi ajustado, e o triunfo deste pas único foi enorme. Um crítico disse que "todo e qualquer outro sentimento transmudou-se em admiração quando as quatro grandes bailarinas principiaram a série de pitorescas figuras com que se inicia o espetáculo". Entre as muitas histórias a respeito, corre a seguinte, logo após o término da peça: após fechar o pano, Perrot ficou sozinho diante do telão, agradecendo aos aplausos. Atrás do pano, as bailarinas discutiam qual delas deveria ser a primeira a aparecer. 


O Diretor do Teatro sugeriu que fosse a mais velha. Como nenhuma queria se declarar mais velha, apareceram as quatro juntas, em plena harmonia, perante o público. Foi uma récita única que teve a presença da Rainha Vitória e de altas autoridades.




Fonte: Os mais famosos ballets, Edgard de Brito Chaves Júnior

Nenhum comentário:

Postar um comentário